AO ANÔNIMO

Um anônimo deixou o seguinte comentário sobre a postagem "JEITO CARIOCA DE VIVER":

“Vi na coluna à direita uma campanha para preservar o planeta. Em certa parte do slide, a pergunta é:- O que vc pode fazer pelo planeta?

Minha resposta:- Posso fazer uma mesa de carvalho, banquetas, mesas, etc... Cortar um carvalho para fazer isso (decoração), é o fim! Como vc é contraditória.

Realmente a fauna e a flora tem que aprender a conviver com o ser humano, pseudo racional.
Humpf!

Minha resposta ao anônimo: informe-se! Assista aos vídeos abaixo e leia os “posts” acima. Enquanto alguns ficam dizendo Humpf! outros estão buscando meios alternativos para mudar a situação ecológica do planeta no seu ramo de atuação profissional, neste caso: decoradores, arquitetos, designers e marceneiros.

Madeiras queimadas, troncos e galhos que são colhidos na mata ou descartados por madeireiros e agricultores estão sendo utilizados na fabricação de moveis rústicos no município de Sinop no Mato Grosso.

A idéia nasceu há oito anos, quando Israel Pereira, artesão de uma associação de Sinop, resolveu aproveitar a madeira que era jogada fora ou que iria ser queimada. Para fabricar seus móveis e comercializar suas peças, Pereira montou uma empresa, que emprega sua mulher, seu filho e mais dois funcionários.

Por semana, são produzidos em média seis móveis, que são vendidos em feiras ou por encomenda. A empresa de móveis ecológicos atende todo o Brasil e fatura cerca de R$ 3 mil por mês.

Segundo o artesão, todos os móveis têm certificado e nota fiscal emitida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos naturais Renováveis (Ibama). Ele afirma que o negócio poderia beneficiar mais pessoas que quisessem trabalhar com madeira descartada.”

Fonte: Paula Michnik / Rádio Nacional da Amazônia

Comentários