ARQUITETURA DA FELICIDADE

Segundo Alain de Botton o que buscamos numa obra de arquitetura não está tão longe do que procuramos num amigo. Ao construir uma casa ou decorar um cômodo, as pessoas querem mostrar quem são, lembrar de si próprias e ter sempre em mente como elas poderiam idealmente ser. O lar, portanto, não é um refúgio apenas físico, mas também psicológico, o guardião da identidade de seus habitantes.

Alain de Botton escreve livros e ensaios, expondo tanto suas idéias e experiências quanto a de artistas, filósofos e pensadores. Esse estilo peculiar de escrever tem sido chamado de filosofia da vida cotidiana.

Segundo críticas na Revista Veja, “Por trás dos livros de Alain de Botton está a concepção de que os grandes filósofos e escritores do passado são um manancial de conhecimento prático. Tudo que De Botton faz é reapresentar essa sabedoria de maneira irônica, num formato de almanaque. Mas tenha em mente: a sabedoria dos autores clássicos talvez sirva para alguma coisa. Já os livros de Alain de Botton são completamente inúteis.”

Comentários

Paula disse…
Será que ele não tem mesmo nada a dizer? Tudo depende de quem ouve, ou de quem lê.
Anônimo disse…
Gostei do que o Alain escreveu sobre a arquitetura da felicidade. Quem sou eu para criticar alguém? Enquanto alguns criticam outros gostam.
Raissa disse…
Também gostei do que o cara disse, acho que ele está no caminho certo.
Anônimo disse…
Helo, você leu o livro? Eu fiz até uma resenha (ainda não publicada), de tanto que eu gostei. Recomendo enormemente, pra quem curte arquitetura e pra quem pensa que beleza é dispensável...
Um beijo!

Malice
Anônimo disse…
Maria Alice, não tive oportunidade de ler o livro apenas algumas matérias.
Helô
Anônimo disse…
Então, já sei de um presente pra te dar! (risos)
Bjs!
Malice